Jump to Navigation

KEWITZ-MATTOS (2013) Correspondência Passiva de Washington Luís cartas familiares (1901-1950)

Gênero: 
Cartas da administração privada
Texto: 

CARTAS PESSOAIS – 1ª.metade do XX – são paulo

Correspondência Passiva de Washington LuÍs (1901-1950)

 

 

 

 

 

Referência:

KEWITZ, Verena (2013) Edição semidiplomática da Correspondência Passiva de Washington Luís na primeira metade do século XX: uma contribuição ao corpus do Projeto de História do Português Paulista. Primeira versão parcial. São Paulo, FFLCH, USP. Revisão parcial de Renata Ferreira Costa e Joyce Mattos (2012-2013).

 

 

 

SUMÁRIO

 

 

Pág.

Apresentação ......................................................................................................

03

1. Breve histórico de Washington Luís e sua carreira ...................................

03

2. Os remetentes de Washington Luís: a família Paes de Barros  .................

04

3. Normas de transcrição ...................................................................................

06

4. Edição das Cartas ...........................................................................................

07

 

4.1. Mariquinha ...............................................................................................

07

 

4.2. Antonio Paes de Barros Sobrinho ...........................................................

13

 

4.3. Bentinho – Mario Maranhão – Lucia – Chiquito ..................................

20

 

4.4. Everardo Vallim Pereira de Sousa ..........................................................

26

 

4.5. Raphael Tobias de Barros ........................................................................

34

 

4.6. João Oliveira de Barros ...........................................................................

39

 

4.7. Alvaro de Souza Queirós ..........................................................................

45

 

4.8. Gilberto Oliveira de Barros .....................................................................

53

5. Referências bibliográficas .............................................................................

57

 

 

 

Apresentação

(Versão preliminar)

 

            Este conjunto de cartas particulares é uma contribuição à constituição de corpora do Projeto Para a História do Português Brasileiro (PHPB), equipe de São Paulo. Trata-se da correspondência recebida por Washington Luís na primeira metade do século XX. Os remetentes são todos parentes por parte de sua esposa Sophia Oliveira de Barros, de família tradicional de cafeicultores desde o século XIX.

            Ainda que não se saiba a cidade de nascimento de alguns dos remetentes, sabe-se que eram todos paulistas nascidos ou na Capital ou no interior. Boa parte dos remetentes apresentados aqui refere-se aos mesmos apresentados em Simões & Kewitz (2006b), em que foram editadas, dentre outras, as cartas desse mesmo fundo e destinatário na segunda metade do século XIX. Ali foram editadas 17 cartas de remetentes paulistas, além das cartas dos fluminenses, sobretudo seu irmão Lafayette. Na presente edição, foram selecionadas as cartas de remetentes paulistas, conforme lista mais adiante.

            A numeração das cartas aqui transcritas não segue a numeração dos documentos depositados no Arquivo do Estado de São Paulo; foram organizadas pela idade dos remetentes da família Paes de Barros, do mais velho ao mais novo, colocadas em ordem cronológica de cada remetente (a partir de 1901). A ordem dos remetentes segue as informações constantes em Motta (1992: 22) e na genealogia de Silva Leme. A numeração das cartas é ainda provisória, visto que nem todas as cartas foram ainda editadas; serão 170 cartas ao todo, quando da finalização da edição. Apresenta-se aqui o conjunto para o corpus mínimo comum manuscrito do PHPB. Ainda que a edição seja parcial, é possível verificar nesse conjunto de cartas as seguintes categorias:

 

Quadro 1. Categorias discursivas das cartas: Simões & Kewitz (2006a, 2009)

(i) Grau de publicidade

Particular – cartas pessoais

(ii) Grau de simetria entre os escritores

Horizontal – grande parte das cartas

Ascendente – algumas cartas (Hierarquia familiar, social e de faixa etária)

(iii) Fixidez temática

Temas variam de remetente para remetente; alguns tratam sempre do mesmo tema (tema altamente fixo), outros tratam de vários temas do entorno familiar (núcleo temático fixo), outros ainda tratam também de política e temas relacionados a negócios e cargos administrativos.

(iv) Dimensões da ação comunicativa

Narrar, informar, descrever, perguntar, agradecer, reclamar, desabafar, pedir, concordar, confirmar etc.

(v) Grau de planejamento do texto

Livre a Semi-controlado

 

 

1. Breve histórico de Washington Luís e sua carreira

 

            Nascido em Macaé (RJ), em 26 de outubro de 1869, estudou no Colégio Pedro II (RJ) e formou-se em Direito pela Academia de Direito de São Paulo em 1891. Em 1893, instalou-se em Batatais (SP), para trabalhar como advogado, a convite do amigo e colega de faculdade Joaquim Celidonio Gomes dos Reis Junior, então Juiz de Direito do município. Entre seus amigos dessa época destacam-se Renato Jardim (posteriormente prefeito de Batatais), Altino Arantes (posteriormente Presidente da Província de São Paulo) e o advogado José Manoel de Azevedo Marques. Nesse período também começa a participar da vida cultural de Batatais, desenvolvendo atividades maçônicas e saraus. Entre 1897 e 1900, atuou como vereador, promotor  público e intendente municipal. Em 1900, casou-se com Sophia Oliveira de Barros, filha dos Segundos Barões de Piracicaba, provenientes de família tradicional paulista da região de Itu, Piracicaba e Rio Claro, os Paes de Barros. E é dessa família que provém as cartas pessoais aqui editadas, depositadas no Arquivo do Estado de São Paulo (AESP). No quadro a seguir, observa-se a cronologia de sua atuação na política paulista e nacional, desde sua formação acadêmica até a volta do exílio no exterior.

Quadro 2. Cronologia da atuação de Washington Luís na política paulista e nacional

Função / Cargo

Período

Formação acadêmica (Fac. de Direito de SP, curso concluído em Recife)

1891

Promotor Público em Barra Mansa (RJ)

até 1896

Advogado e Vereador de Batatais

1897 a 1898

Intendente de Batatais

1898 a 1900

Deputado Estadual

1904 a 1905

Secretaria de Justiça e Segurança Pública de SP

1906 a 1912

Deputado Estadual

1912 a 1913

Prefeito de SP

1914 a 1919

Presidente do Estado de SP

1920 a 1924

Senador da República

1925 a 1926

Presidente do Brasil

1926 a 1930

Exílio nos EUA e na França

1930 a 1947

Volta ao Brasil quando dedica-se a estudos de História e Genealogia

1947 a 1957

 

            Sua atuação como presidente da Província de São Paulo foi marcada, por exemplo, pelo programa de Imigração, Povoamento e Ensino. Nesse período foi criado o brasão do Estado de São Paulo, "Nom Ducor, Duco", elaborado pelo poeta Guilherme de Almeida. Em 1926, foi eleito Presidente da República, pelo conhecida "Política do Café com Leite", tendo sido este seu último cargo político. Em 1930, foi exilado no exterior e quando de sua volta ao Brasil, dezessete anos depois, dedicou-se apenas às pesquisas em História e Genealogia. Faleceu em São Paulo, em 4 de agosto de 1957.

 

2. Os remetentes de Washington Luís: a família Paes de Barros e suas cartas

 

            Na tabela a seguir, estão relacionados os remetentes, grau de parentesco com o destinatário (Washington Luís), a relação de cartas aqui editadas, ano de nascimento e morte[1], sempre que possível, e a numeração das cartas.

            Ressalta-se que as cartas de Bentinho, Mario Severo Maranhão, Lucia Severo Maranhão e Chiquito foram sequencialmente num mesmo grupo (5.3), por serem remetentes relacionados a um mesmo cunhado de Washington Luís, Bento Paes de Barros (Lucia e Bentinho são seus filhos). Essas cartas estão marcadas em cinza na tabela de relação de cartas a seguir.

 

 

 

Remetente

Nascimento * / Morte

Grau de parentesco

Carta

Data

Mariquinha

*Rio Claro 05/09/1847

† São Paulo 26/04/1926

Sogra

01

15/06/1901

Mariquinha

02

11/06/1907

Mariquinha

03

02/09/1909

Mariquinha

04

26/10/1909

Mariquinha

05

27/08/1921

Antonio Paes de Barros Sobrinho

Rio Claro *23/03/1864

† 1937

Cunhado, irmão de Sophia Oliveira de Barros, filho mais velho da Baronesa

06

17/05/1901

Antonio Paes de Barros Sobrinho

07

28/04/1907

Antonio Paes de Barros Sobrinho

08

08/09/1909

Antonio Paes de Barros Sobrinho

09

15/11/1913

Antonio Paes de Barros Sobrinho

10

17/11/1913

Bentinho

Rio Claro *4/02/1866  † 1907

Sobrinho, filho de Bento Paes de Barros

11

18/05/1927

Bentinho

12

09/08/1927

Lucia Severo Maranhão

?

Sobrinha, filha de Bento Paes de Barros

13

06/09/1923

Mario Severo Maranhão

*1896 †1972

Marido de Lucia Maranhão

14

12/01/1924

Chiquito

?

Filho de Lucia e Mario Maranhão

15

06/11/1937

Everardo Vallim Pereira de Souza

Bananal, SP *19/08/1869

† São Paulo 16/06/1948

Primo e concunhado, casado com a irmã de Sophia, Candida Novaes

16

10/05/1901

Everardo Vallim Pereira de Souza

17

17/07/1901

Everardo Vallim Pereira de Souza

18

19/07/1901

Everardo Vallim Pereira de Souza

19

08/08/1901

Everardo Vallim Pereira de Souza

20

18/11/1914

Raphael Tobias de Barros

*05/04/1870

† 1946

Cunhado

21

11/03/1907

Raphael Tobias de Barros

22

17/07/1914

Raphael Tobias de Barros

23

11/11/1914

Raphael Tobias de Barros

24

28/11/1916

Raphael Tobias de Barros

25

sem data

João Oliveira de Barros

*02/11/1875

 †1961

Cunhado

26

11/03/1904

João Oliveira de Barros

27

08/05/1904

João Oliveira de Barros

28

23/08/1904

João Oliveira de Barros

29

07/04/1911

João Oliveira de Barros

30

01/06/1927

Alvaro de Souza Queirós

*1877  †1964

Concunhado e amigo, colega de faculdade de Direito

31

sem data

Alvaro de Souza Queirós

32

sem data

Alvaro de Souza Queirós

33

sem data

Alvaro de Souza Queirós

34

18/06/__

Alvaro de Souza Queirós

35

11/03/__

Gilberto Oliveira de Barros

*1911 †1956

Sobrinho

36a

19/02/1929

Gilberto Oliveira de Barros

36b

sem data

Gilberto Oliveira de Barros

37

01/12/1929

 

           

 

 

 

 

 

3. Normas de Transcrição deste conjunto de cartas

 

            As normas de edição deste conjunto de cartas seguem aquelas propostas por Megale, Toledo Neto et al. (1998), publicadas em Mattos e Silva (2001 Org.)[2]. Pequenas adaptações foram feitas, tais como a não marcação da assinatura com sublinhado e a inserção de notas de rodapé para a descrição de processos de correção e outros elementos relevantes.

            Por ser ainda uma edição parcial, não  há numeração das linhas de 5 em 5 em todas as cartas. A fonte escolhida para a edição é Times New Roman, tamanho 12, pois faz-se necessário o uso de uma fonte serifada, para diferenciar, por exemplo, a letra "l" minúscula e a letra "I" maiúscula.

            No cabeçalho de cada carta são colocados os seguintes dados:

 

Conjunto e Número da carta: a numeração segue a lista de remetentes; de cada um, as cartas estão dispostas em ordem cronológica

Nome do remetente

Nome do destinatário (visto que há casos em que o destinatário não é Washington Luís)

Data e local da carta (sempre que disponíveis)

Fonte do documento: para este conjunto de cartas, indica-se apenas AESP (Arquivo do Estado de São Paulo – Fundo Washington Luís), pois a numeração das caixas e pastas está errada no catálogo do arquivo.

Nome do editor e ano da edição

Nome do revisor e ano da revisão

Número de páginas e de palavras da carta

 

 

           
4. Edição das cartas

 

 

4.1. Mariquinha – 2ª Baronesa de Piracicaba

 

 

Correspondência Passiva de Washington Luís – Carta 01

Remetente: Mariquinha

Destinatário: WASHINGTON LUÍS

Data: 15 de junho de 1901

Local: não consta

Fonte: Fundo Washington Luís – Arquivo do Estado de São Paulo

Edição: Verena Kewitz (2012)

Revisão: Renata Ferreira Costa (2012)

N.º de palavras: 298

N.º de páginas: 2

    

 

Dr. Antonio Paes de Barros Sobrinho

            Estação de Campo Alegre[3]

 

 

 

           15 de Junho de 1901.

 

 

         Meu querido Filho

 

 

 

                        Com praser recebi vossa

carta de 13 do corrente, muito vos agra_

deço o enterece que tomas pela minha

ida para essa, e tambem o offerecimento

dos utencilios de casa que vos pertencem,

acceito, tudo menos roupas de cama, toalhas

e guardanapos para mesa, e assim tambem

os talheres isso tudo eu levarei de São Paulo

mesmo colchoês eu levarei mais alguns

Naõ desejo que voces saiâm de seus com_

modos, eu desejaria muito ficar na salinha

da frente, que éra aonde eu dormia quando

estivemos nessa casa, mesmo no chão eu fi_

carei muito bem. Naô sei bem quando pode_

rei ir para essa, tencionamos estar em São Paulo

5.ª ou 6.ª feira, e la´e´ que verei o tempo que

terei para arranjar algumas cousas, e assim

seguiremos; acho melhor Elisa naô vir a São Paulo

antes de eu lá chegar, depois se ella quiser

virá. O Chalet acho bom tomar atte fins

de Julho, pois Tonica precisa muito de banhos

[p.02] de Már, ella apesar de sua apparencea

naô mostrar acho_a bem doente, sente

o lado esquerdo todo adormecido, e como

o Evr[4] pouca importancia liga a isso, eu

como Mãe acho de meu dever cuidar

da saude de minha filha; em primeiro

logar está a saúde; como tive um mari_

do que tomava sempre tanto enteresse pela

minha, naô posso me conformar com

este modo de pensar do Everardo.

Muito estimarei que voces todos tenhaô

aproveitado bem [a] estada ahi que a minha

querida netinha continue sempre gordinha

forte, e alegre, estou anciosa por abraçal_a.

Saudades a Sophia, Tuda, Liza, Alvaro, acei_

tai as mesmas de vossa maē que

           muito o estima é

                           Obrigada

                         Marequinha.

 

 

No dia que seguir para São Paulo avisarei

a voces por telegramma.

 

 

 

Correspondência Passiva de Washington Luís – Carta  2

Remetente: Mariquinha

Destinatário: Sophia de Oliveira Barros

Data: 11 de junho de 1907

Local: não consta

Fonte: Fundo Washington Luís – Arquivo do Estado de São Paulo

Edição Verena Kewitz (2012)

Revisão: Renata Ferreira Costa (2012)

N.º de palavras: 232

N.º de páginas: 3

     

Querida Filha

Hontem recebi tua

presada carta, pretendia

te escrever mesmo, e a

Elisa, mas ainda res<s>en_

tida das viagem naõ

tinha corgem, hoje ve_

nho fazer estes rabiscos

ainda me sinto um

pouco cansada; encon

trei Tonica e familia

bons mas ella esta mais

magra, tambem lida

muito naõ pára coi_

tada; eu vou passando

sem novidade, tomara

[p.02]  meus nervos me dei_

charem, demorar-me

aqui, eu hoje parece

que sinto-me bem na

solidaô.

Esta tem por fim agra_

decer-te e ao Wash o

tempo que ahi estive

e que me dispença

rão tantas casinhas e

bem estar, Deus lhes

pagará, dando-lhes muitas

felicidades e a meus

netinhos, e tenho sen_

tido a falta sensivel

dos 3, como vaõ elles

Caio ainda muito esper_

to ? Maria e Rafael

[p.03] apurados como sempre

beijai por mim aos tres

Como vae Elisa e o Joaõ[5], e

filhos fiquei muito triste em

saber que a Tatinha esteve ou

tra ves com febre Elisa deve

vir para cá o clima e outro e

/com facilidade faz-se esta via

gem. dai muitas saudades a ella

e aó Joâo; Como vai Faié[6]

Jaõ e Ze Noemi[7], e Candinha

esta ja voltou? e está mais

forte? saudades a todos

estes, a Feco Paulo, e os mais

parentes adeus minha filha

aceita as saudades de

tua Mãe que te abençoa

muito te quer é muito Obrigada

                Marequinha

11_6_907.

 

 

 

 

 

 

 

 

Correspondência Passiva de Washington Luís – Carta 03

Remetente: Mariquinha

Destinatário: WASHINGTON LUÍS

Data: 02 de setembro de 1909

Local: não consta

Fonte: Fundo Washington Luís – Arquivo do Estado de São Paulo

Edição: Verena Kewitz (2012)

Revisão: Renata Ferreira Costa (2012)

N.º de palavras: 83

N.º de páginas: 2

    

            Querido Filho

 

            Desejo_lhe saude, e a to_

dos os nossos.

 Esta tem por fim agra_

decer_lhe muito o exelente

presente que me fez

apreceei muito a tua

boa lembrança, mil veses

agradecida.

Sophia vai passando

regularmente muito

tristonha, naõ sei se será[8]

saudades do esposo.

Maria anda bem alegre

mas muito enfastiada

e um tanto palida, os

outros tres muito alegres

e saudaveis.

Aceite saudades de todos

[p.02] e um abraço de tua

Maẽ que muito o estima

      e é Obrigada

                  Marequinha

 

            2_9_909.

 

 

Correspondência Passiva de Washington Luís – Carta 04

Remetente: Mariquinha

Destinatário: Washington Luís

Data: 26 de outubro de 1909

Local: não consta

Fonte: Fundo Washington Luís – Arquivo do Estado de São Paulo

Edição: Verena Kewitz (2012)

Revisão: Renata Ferreira Costa (2012)

N.º de palavras: 66

N.º de páginas: 2 [cartão escrito frente e verso]

    

 

   Meu querido Filho

  Cumprimento_lhe pelo

seu anniversario nacttalicio,

fazendo ardentes votos para

que Deus te consida muitos

outros cheios de saude e

felicidades, e cada vez sali

entando-se mais no teus

sentimentos nobres, e cara

[verso] cter elevado, para a sa

tisfaçaõ e orgulho desta

tua Mãe que muito

Baroneza de Piracicaba[9]

o considera, estima é obri_

gada; Deus que o proteja

26_10_909 | Marequinha

 

 

Correspondência Passiva de Washington Luís – Carta 05

Remetente: Mariquinha

Destinatário: WASHINGTON LUÍS

Data: 27 de agosto de 1921

Local: não consta

Fonte: Fundo Washington Luís – Arquivo do Estado de São Paulo

Edição: Verena Kewitz (2012)

Revisão: Renata Ferreira Costa (2012)

N.º de palavras: 138

N.º de páginas: 4

    

   Rio  27 – 8 – 921

 

     Presado Waschin[10]gton

 

         Que com Sofia, e fi –

lhos gosem saude.

Desculpe encommodal_o,

junto remeto essa car_

ta, de minha Sobrinha

fasendo esse pedido, e

como conheço esse Senhor,

do tempo do Rafael

[p.02] que me desia, que era

um homem trabalhador

e honesto, me animo a

transmitir esse pedido,

e assim voce fará o que

entender

Por aqui passamos sem

novidade, suportando

este calor, e polvadeira[11]

[p.03] horrevel.

Zé anda muita saptis

feito com os bons re_

sultados que está teran

do da fabrica, se conti

nuar assim será bom.

Pretendo seguir para ahi

a 6, demaneiras que tens

de continuar a me atu_

rar, o que bem me acanho

[p.04]    Saudades a Sofia e

meus netos, aceite as

mesmas de sua mãe

que o estima, considera,

é muito grata

 

   Baroneza de Piracicaba

                                  

 

4.2.  Antonio Paes de Barros Sobrinho

 

 

Correspondência Passiva de Washington Luís – Carta 06

Remetente: Antonio Paes de Barros Sobrinho

Destinatário: WASHINGTON LUÍS

Data: 17 de maio de 1901

Local: Evangelina

Fonte: Fundo Washington Luís – Arquivo do Estado de São Paulo

Edição: Verena Kewitz (2012)

Revisão: Renata Ferreira Costa (2012)

N.º de palavras: 305

N.º de páginas: 2

    

Dr. Antonio Paes de Barros Sobrinho

           Estação de Campo Alegre[12]

 

                                                                                   Evangelina 17 de Maio de 1901

 

                                                           Prezado Wash.

                                                                                  Recebi tua carta, e desejo que

                                               a Florindinha já esteja bem melhor quando não boa

                                               de todo, e bem assim de saude Você e Sophia.

                                                        Agradeço-te o incommodo de retirares as letras

                                               da burra e entregar ao Faé, ainda taõ a tempo.

                                                           Imagino o susto porque Vocês passarão, porque

                                               esse é um incommodo tão repentino que nem

                                               se tem tempo de cobrar sangue frio; mas Sophia

                                               não deve assustar-se muito, é ter sempre em casa

                                               um pouco de mostarda em pó porque num caso

                                               desses é só applicar uma cataplasma de linhaça pul=

                                               verizada com um pouco de mostarda, sobre o peiti=

                                               nho, apenas uns segundos, que não tem perigo, os

                                               pulmãosinhos começão a funcionar bem, depois

                                               se não der expectorante, é dar Bryonia x 5.

                                               1 gotta n' uma colher de sopa e dar colherinha de café

                                               de 2 em 2 horas que despeja todo o catarrho.

                                               E não é que estou como as velhas dando

                                               receitas e meizinhas a tôrto e a direito? e a quem

                                               me não pediu?   Mas isso é porque a bem

                                               pouco estive com o meu bem doentinho e só

                                   [p.02]  com isso ficou perfeitamente bom.

                                                       Sophia que não receie dar o banho de cortu=

                                               me na pequena, porque isso é um grande

                                               auxiliar, e as creanças soffrem muito sem o

                                               seu banho de asseio; bem agazalhado o quanto

                                               não tem perigo algum.

                                                   E' portador desta o Everardo que tem em vista nego=

                                               cio com S. + Troust, mas que nas condições

                                               actuaes do Caneliso[?] pode tornar-se onerosissimo

                                               em todo caso depende, das condicções do pagamento

                                               e juros.    Quer-me parecer que elle não conseguirá

                                               ao menos por este anno, sahia das garras do

                                               Petulante P.L.

                                                           Adeus acceite e Sophia nossas Saudades e

                                               disponha do

                                                                       Mano Amigo Obrigado que te abraça

                                                                                                                Antonio

 

 

Correspondência Passiva de Washington Luís – Carta 07

Remetente: Antonio Paes de Barros Sobrinho

Destinatário: WASHINGTON LUÍS

Data: 28 de abril de 1907

Local: Sant´Anna

Fonte: Fundo Washington Luís – Arquivo do Estado de São Paulo

Edição: Verena Kewitz (2012)

Revisão: Renata Ferreira Costa (2012)

N.º de palavras: 140

N.º de páginas: 2

    

 

                                   Sant'Anna 28 de Abril de 1907

 

                            Prezado Washington.

                                                           Estimo que

                        com Sophia e filhos continues de

                        saude e que Mamãe continue

                        sem novidade.

                             Aqui chegamos sem novida=

                        de, encontrando os filhos bons.

                             Não podendo continuar a

                        vêr Zéca nesta vadiação, resol=

                        vi mandal-o para a escóla

                        militar no Rio, onde consta=

                        me, são nullas as despezas

                        e o regulamento faz appruvei=

                        tarem os estudos.

                            Não é por qualquer outro

            [p. 02] motivo que o de economia que

                        me resolvo a isso, mas desejava

                        que m'informasses com mais

                        minuciosidade dos meios de

                        se conseguir isso e mesmo qual

                        o regulamento la adaptado.

                             Elle é vivo e com pouco

                        esforço, poderá dar conta do reca=

                        do, e depois preciza ser homem

                        que os tempos não são para

                        maricas.

                                   Acceite e transmitta a

                        todos nossas Saudades e dispo=

                        nha do

                                        Mano Amigo Obrigado

                                                                   Antonio.

 

 

Correspondência Passiva de Washington Luís – Carta 08

Remetente: Antonio Paes de Barros Sobrinho

Destinatário: WASHINGTON LUÍS

Data: 8 de setembro de 1909

Local: Rio Claro

Fonte: Fundo Washington Luís – Arquivo do Estado de São Paulo

Edição: Verena Kewitz (2012)

Revisão: Renata Ferreira Costa (2012)

N.º de palavras: 282

N.º de páginas: 2

    

 

            Rio Claro 8 de Setembro de 1909.

 

            Prezado Washington.

                                      Estimo que

tenhão feito boa viagem e que Maria

continue melhorando.

                        Nos vamos indo sem

novidade, e Mamãe apezar de andar mui=

to nérvóza e abatida tem dormido re=

gularmente.

            Hontem escrevi aos manos

Phaé e João que tinha desistido da

procuração de [mi]nha Mãe, e que esta

estava promp[ta] para transferir os mes=

mos poderes [a  e]lles para que dessem

aos negocios d[e]lla a orientação que

entendessem, certos de que nenhum

de nós iria incommodal-os no

desempenho desse mandato.

            Meu unico empenho era

de procurar descançar minha Mãe acau=

tellando o que pudesse, em seus interesses

e ao mesmo tempo com o menôr tra=

balho para mim, uma vez que elles

entendem que agia de modo diverso

e porque sabem qual a melhor orien=

tação a tomar e como o nosso fim é

o mesmo, ficão com ampla liberdade

[p.02] de procceder e com maior campo

para provarem o alto interesse que

tomão pór Mamãe.

            Não posso deixar a Fazenda

sem direção pelo que apenas aguardo

o administradôr que elles indicarem

para levando Mamãe para essa, na

volta retirar-me com os meus para

Brótas.

            Sinto-me triste de retirar

me sem alcançar o descanço e tranquil=

lidade que esperava dar a minha Mãe

mas ao mesmo tempo vou tranquillo

por ter consciencia de que fiz o que

em mim estava para esse fim, e

ella estar convencida disso.

            Espero que o interesse e

amizade que sempre tens mostrado

para com minha Mãe não esmorecerão

e pelo contrario procurarás por teu lado

proporcionar a mesma tranquillidade

de que tanto preciza.

            Acceite com Sophia nossas recom-

mendações um beijo nos filhos e

             abraça o Mano Amigo Obrigado

                                               Antonio.

 

 

 

Correspondência Passiva de Washington Luís – Carta 09

Remetente: Antonio Paes de Barros Sobrinho

Destinatário: Baronesa de Piracicaba – mãe do remetente

Data: 15 de novembro de 1913

Local: Santa Anna 

Fonte: Fundo Washington Luís – Arquivo do Estado de São Paulo

Edição: Verena Kewitz (2012)

Revisão: Renata Ferreira Costa (2012)

N.º de palavras: 564

N.º de páginas: 3

    

Dr. Antonio de Barros

       rio claro • s.paulo

                         brazil

      End. Telegr.: barros

          Cod. A.B.C.5A

                                               Santa Anna 15 de Novembro de 1913.

 

                                 Minha Querida Mãe .

                                              Estimo que Você continue passando

            sem novidade.

                                           Recebi sua carta de 13 que respondo.

            O negocio do Banco de Custeio Rural do Rio Claro

            e` o seguinte. Foi feito o contracto que e` de

            1 anno e que terminou em 30 de Outubro deste

            anno, para o Banco fornecer 80:000$000 para

            o custeio da Fazenda; os 80:000$000, são[13] repre=

            sentados por 2 letras 1 de 50:000$ e outra de 30:000.

            esse custeio exgotou-se e no dia 30 devia

            pagar os 80:000# mas como a safra só deu

            6000 arrobas (para o Lara) e Você não poude pagar todo

            o custeio e sacou então do Lara 40:000$ que

            Você tem a nòta e recebem os quebrados, entrando

            para o Banco 39:700$000 reis, conforme combinação

            feita com Quincas que e`o director da Socciedade

            Incorporadôra e que ahi esteve com Você fican=

            do Você de entrar com os restantes 40:300$000 reis

            logo que pudesse, dentro de 60 dias, para então

            fazer nôvo contracto para este anno.

                        Isto tudo Você já sabe porque alem

[p.02] 

 

Dr. Antonio de Barros

       rio claro • s.paulo

                         brazil

      End. Telegr.: barros

          Cod. A.B.C.5A

                                   de lhe explicar por varias vezes, Você

            escreveu ao Lara sobre isso e elle respondeu

            que era muito cedo e não cogitasse disso, con=

            forme carta que Você me mostrou.

                        A Senhora anda muito esquecida e por isso

            e` que me escreveu reperguntando, o que já em

Santo Antonio e depois ahi já lhe tinha ex=

            posta, na ultima vez ainda, lhe disse que

            precizava Você tratar de vêr se podia apressar a desa=

            propriação ou então dispôr dos terrenos do Ypiranga

            para fazer face ao resto do custeio e os pagamen

            to geral e fazer nôvo contracto.

                        A Senhora tem ou tinha no Lara, cafés

            por vender e esse café deve dar para amor=

            tizar mais uns 20 ou 25:000$ do Custeio

            Rural, e o dinheiro que está la´ e´ seu e elle

            não póde de forma alguma deixar de entregar-lhe

            porque a Senhora como comunittente não lhe deve na=

            da.     As outras dividas a Senhora sabe que são, a hypothe=

            ca do Lara, as letras de Tia Julia e Zé, e a mim[14] o

            que este anno tive de entrar para pagamentos de Santo An=

            tonio e prestação de juros do Lara, e que estou esperando

            a conta corrente de Tobias de Barros para fechar e dar-lhe

            a nòta, como já disse.

                        Estou certo que o Washington com muito mais facili=

 

 

[p.03]

Dr. Antonio de Barros

       rio claro • s.paulo

                         brazil

      End. Telegr.: barros

          Cod. A.B.C.5A

 

            dade poderá arranjar as coisas de modo que Vo

            possa vencer este periodo, porque no fim do anno

            a safra de Santo Antonio será muito superior a que

            teve e provavelmente os preços ajudarão.

                        Por aqui vamos indo regularmente só com

            muito calôr e sêca que continua, com a cheia

            veio um chuvisqueiro que refrescou um pouco

            mas não deu para nada.

                        Hoje já está o thermometro em 30º.

                        Adeus Mamãe, aceite saudades de todos e abençõe

            a este seu filho que muito lhe quer e respeita

                                                                       Antonio.

 

 

Correspondência Passiva de Washington Luís – Carta 10

Remetente: Antonio Paes de Barros Sobrinho

Destinatário: WASHINGTON LUÍS

Data: 17 de novembro de 1913

Local: Santo Antonio 

Fonte: Fundo Washington Luís – Arquivo do Estado de São Paulo

Edição: Verena Kewitz (2012)

Revisão: Renata Ferreira Costa (2012)

N.º de palavras: 388

N.º de páginas: 3

    

Dr. Antonio de Barros

       rio claro • s.paulo

                         brazil

      End. Telegr.: barros

          Cod. A.B.C.5A

                                               Santo Antonio 17 de Novembro de 1913.

 

                         Prezado Washington.

 

                                   Estimo que continues fórte bem

            como Sophia e todos os filhos.

                              Recebi uma carta de Mamãe em

            que se referindo a negocios, perguntava-me

            de nôvo o que por muitas vezes já expuz

            a ella, o que quer dizer que ella não

            comprehendeu, o que é muito natural, e como

            ella me diz que queria saber para poder

            explicar-te, porquanto tinha te pedido para

            providenciar a respeito e´ que te escrevo direc

            tamen-te.

                        Minha Mãe tinha um contracto de

            custeio com o Banco de Custeio Rural d´aqui

            de 80:000$000 de reis para o custeio da Fazenda,

            e que tem vindo de annos atraz refor

            mando-se todos os annos com o pagamen=

            to ou liquidaçaõ a 30 de Outubro de cada anno.

              Esse custeio já vem desfalcado do Anno

            passado com o pagamento geral do anno pas=

            sado que já foi retirado na urgencia do

            contracto nôvo, alem disso o serviço de

[p.02]

Dr. Antonio de Barros

       rio claro • s.paulo

                         brazil

      End. Telegr.: barros

          Cod. A.B.C.5A

                                juros da divida hypothecaria que

            anda quasi em 50:000$000 e´ tirado tam=

            bem do mesmo custeio, este anno a safra

            em Rio Claro foi nulla, e si produzir 6000

            arrobas que forão remettidas ao Lara, e por conta

            das quaes já Mamãe sacou 40:000$000

            para amortizar 39:700$000, producto do saque

            ficando devendo ao mesmo banco 43:000$

            mais ou menos, que começou ser liquida=

            do o mais breve possivel, mas só por estar

            vencido em 30 de Outubro como ainda para

            pagar 3% ao mez, e mais para poder ser

            feito nôvo contracto, para que disponha de mais

            para este anno, de modo que devem applicar

            todo o producto do café em poder do Lara

            (e que Mamãe pode dispôr da maneira que

            entender) na liquidação desse debito do

            Banco, completando o que faltar por um meio

            qualquer (20:000$) mais ou menos, e feito

            o nôvo contracto então amortiza qualquer com=

            promisso assumido com chéque em sua conta corrente

            nóva.    Por emquanto e´ o que acho mais

            conveniente fazer, e logo que possa irei a

            essa e pessoalmente poderei melhor expôr.

                 A safra que vem aqui e´ bem boa e dará

[p.03]

Dr. Antonio de Barros

       rio claro • s.paulo

                         brazil

      End. Telegr.: barros

          Cod. A.B.C.5A

 

            para tudo isso, eu e´ que não podia mais

            continuar porque alem dos meus interesses

            já estava com compromissos pessoaes que

            não podiam continuar.

                        Nos recommendando a todos dispo=

            nha do

                             Mano Amigo Obrigado

                                                           Antonio

 

    P.S. Sigo hoje para Brótas.

 

4.3. Bentinho – Mario Severo Maranhão – Lucia Severo Maranhão – Chiquito[15]

 

 

Correspondência Passiva de Washington Luís – Carta 11

Remetente: Bentinho

Destinatário: WASHINGTON LUÍS

Data: 18 de maio de 1927

Local: São Paulo – SP

Fonte: Fundo Washington Luís – Arquivo do Estado de São Paulo

Edição: Verena Kewitz (2012)

Revisão: Renata Ferreira Costa (2012)

N.º de palavras: 149

N.º de páginas: 1 [datilografada]

    

 

                        São Paulo, 18 de Maio de 1927.

 

 

                        Muito prezado tio Washington

 

 

                        Somente agora, que já se acha defi-

nida minha situação na Prefeitura, devido a sub-

metterem-me a um exame para certificarem-se das

minhas aptidões, venho communicar ao Senhor, que fui

hoje contractado como auxiliar do contador da Pre-

feitura, com o ordenado de Rs, 750$000, mensaes, e,

que o Senhor, attendeu ao meu pedido.

 

                        Era mesmo meu desejo ir agradecer-

lhe pessoalmente este grande obsequio, o que não

fiz por falta de uma boa opportunidade.

 

                        O Senhor, pode estar certo de que fa-

rei tudo o que fôr preciso para não desmerecer em

nada da boa recommendação do Senhor, e tornar-me sem-

pre digno de sua preciosa protecção.

 

                        Agradecendo mais uma vez tudo o que

o Senhor, fez por mim, peço recommendar-me a boa tia

Sophia e primos, abraçando-lhe o sobrinho que é

Amigo sincero e grato,

 

                                               Bentinho[16]

 

 

 

 

 

Correspondência Passiva de Washington Luís – Carta 12

Remetente: Bentinho

Destinatário: WASHINGTON LUÍS

Data: 9 de agosto de 1927

Local: São Paulo – SP

Fonte: Fundo Washington Luís – Arquivo do Estado de São Paulo

Edição: Verena Kewitz (2012)

Revisão: Renata Ferreira Costa (2012)

N.º de palavras: 272

N.º de páginas: 1 [datilografada]

    

                        São Paulo, 9 de Agosto de 1927.

 

Prezado Tio Washington

 

                                   Saudações respeitozas,

 

                            O Mario, em nome de tio João de Barros,

veio hoje fallar-me sobre uma divida que tinha para com

Vóvó, representada por uma lettra de cambio do valor

de 11:200$000, sendo 10:000$000 do principal e 1:200$,

de juros. Não desconheço a obrigação tampouco quero me

furtar ao seu pagamento caso os herdeiros entendam que

ella deva ser paga. Entretanto, parece-me que tendo

Vóvó perdoado, em seu testamento todas as dividas de

filhos e genros que montavam a apreciavel quantia, a

minha, por equidadedeve ser incluida n´essa quitação

pois, só differe das outras em ter sido contrahida

posteriormente ao testamento.

                            Dirijo-me ao Senhor, porque a sua opi-

nião pela justiça de que se reveste e pelo prestigio

que o Senhor, goza na familia é a que predomina. Não

allego minha situação ainda financeiramente incerta

nem o facto de Vóvó ter me dito que não cobraria a

lettra e com ella me presentearia no meu anniversario

mas, antes de me dirigir aos outros herdeiros quero

que o Senhor, se pronuncie pois, caso ache que eu deva

pagar eu o farei sem ouvir os outros, e, em caso con-

trario, eu procurarei os demais a vêr o que entendem

as suas respectivas parcellas.

                           Peço ao bom Tio relevar essa consul-

ta tão impertinente mas, como muito devo ao Senhor, e,

prezo altamente a sua decisão, dirijo-me ao Senhor, a

quem peço o favor de uma resposta.

                           Sem mais, e, pedindo mil desculpas

peço ao Senhor, recommendar-me a Tia Sophia e primos e

abraços do sobrinho que muito lhe quer é e´ grato,

                                               Bentinho[17]

 

 

 

Correspondência Passiva de Washington Luís – Carta 13

Remetente: Lucia (Severo Maranhão)

Destinatário: Washington Luís

Data: 6 de setembro de 1923

Local: Mogi-Mirim – SP

Fonte: Fundo Washington Luís – Arquivo do Estado de São Paulo

Edição: Verena Kewitz (2012)

Revisão: Renata Ferreira Costa (2012)

N.º de palavras: 157

N.º de páginas: 2

 

 

Dr. Mario Severo                                         6-9.923. Mogy. Mirim.

      advogado[18]

 

            Muito prezado Tio Washington,

 

Não sei o que poderei dizer-lhe pa –

ra exprimir os meus sentimentos de pro –

funda gratidão pela sua grande bon-

dade removendo Mario para uma

Comarca de tanto futuro, e por nós

tão desejada como a de Ribeirão

Preto.

   E stamos radiantes, e, confio que

não me faltará opportunidade para

lhe demonstrar o quanto lhe sou reco-

nhecida pelos favôres com que nôs

tem cumulado, e que dizem bem da

grandeza do seu coração.

[p. 02]  O meu desejo éra ir pessoalmente

lhe agradecer, mas infelizmente es-

tou com grippe, e de cama, e como

quéro que o senhor saiba o quanto lhe

sou grata, escrevo-lhe esta carta.

Ella dirá bem os meus sentimentos de

gratidão e amizade.

  Peço-lhe dar um abraço na bôa tia

Sophia, Maria e nos meninos.

  O senhor queira aceitar affectuosas sau-

dades da sobrinha que muito

lhe estima e respeita,

 

            Lucia

 

 

Correspondência Passiva de Washington Luís – Carta 14

Remetente: Mario Severo Maranhão

Destinatário: Washington Luís

Data: 12 de janeiro de 1924

Local: Ribeirão Preto – SP

Fonte: Fundo Washington Luís – Arquivo do Estado de São Paulo

Edição: Verena Kewitz (2012)

Revisão: Renata Ferreira Costa (2012)

N.º de palavras: 367

N.º de páginas: 3

 

 

              Ribeirão Preto, 12 de Janeiro de 1924

 

       Meu eminente amigo doutor Washington

 

            Saudações respeitosas.

 

                                        Desejava ha muito chegar á

situação que circunstâncias felizes tornaram ago_

ra mais accessivel para mim: viver de minha

profissão. Penso ser esse o meu milhor futuro

não só por esperar da advocacia proventos

mais abundantes do que no funccionalismo, como

tambem por ficar desimpedido para outras

actividades.

                        Assim é que desejando tentar a advo _

cia [sic] em Ribeirão, não o quero fazer sem a

approvação do senhor a quem devo tudo o que

consegui em São Paulo e que é o amigo em

quem confio e á cuja palavra obedeço.

                        Conto com um dos mais illustres collegas

d´aqui – o doutor Mario Moura _  dono de grande

clientela na grande zona de que Ribeirão é o

centro; farei[19] com elles, por um anno, socieda

de em seis causas, garantido eu com uma

[p. 02]  retirada mensal equivalente aos meus venci_

mentos e custas da Promotoria, além do que

se liquidar no final das causas. Para esse

fim pediria uma licença de um anno, sem

vencimentos, para tratar de meus interesses, o que

me permittira agir sem impedimentos nem com_

promissos de qualquer ordem.

            Ribeirão é uma promotoria previlegiada e

sou gratissimo ao senhor por me ter collocado

em posto de destaque no Ministerio Publico

paulista. Mas, a opportunidade é bôa e a bu-

rocracia si tem a vantagem da estabilidade

tem egualmente os inconvenientes de um fu-

turo limitado e estreito.

            E, por lealdade e muita gratidão de que

sou devedor ao senhor creio que assim proceden_

do estou de accordo com os conselhos que

mereci ouvir do senhor que já me fez compre –

hender que a promotoria seria um meio

de apresentação e de se angariar prestigio

para depois tomar rumo definitivo.

            No caso de agora o apparecimento das

circunstancias referidas, precipitam minha re_

solução, e havendo preponderancia do prestigio

do escriptorio sobre o meu proprio, recorri ao

[p. 03]  expediente da licença de um anno, tempo

sufficiente para conhecer todas as possi –

bilidades da tentativa.

   Recommendações nossas a Dona Sophia.

     Com os votos de felicidades que desejo

    ao senhor queira acceitar um abraço do

                        Sobrinho, amigo e admirador sinceramente

 

                                               MarioSeveroMaranhão

 

 

 

Correspondência Passiva de Washington Luís – Carta 15

Remetente: Chiquito

Destinatário: Washington Luís

Data: 06 de novembro de 1937

Local: São Paulo – SP

Fonte: Fundo Washington Luís – Arquivo do Estado de São Paulo

Edição: Verena Kewitz (2011-2012)

Revisão: Renata Ferreira Costa (2012)

N.º de palavras: 147

N.º de páginas: 2

 

 

  São Paulo, 6 de Novembro de 1937.

Illustre primo e amigo doutor Washington

     Cumprimento-o affectuosamente

      Tomo a liberdade de apresentar-lhe

o portador, doutor Francisco Antonio Cardoso,

filho do nosso amigo e seu grande

admirador doutor Bento Lucas Cardoso,

ex-director gerente do Diario Official

do Estado e director, aposentado, da

Caixa Economica da Capital. Apre-

sento-lh´o, com praser, porque se

trata de moço distinctissimo.

     O doutor Franscisco Cardoso formou-se,

recentemente, em medicina, cujo curso

fez com brilhantismo. E a prova disto

é a viagem de estudos que faz, agora,

á França – premio a que fez jús.

     O Senhor como vae de saúde? Recebeu

nossa carta de felicitações pelo grande

dia do seu anniversario natalicio?

[p.02]   O Senhor está, sempre, no nosso coração e

estamos cheios de saudades suas.

    Por intermedio do doutor Cardoso

envio-lhe o meu abraço muito

affectuoso.

    Do primo e amigo muito grato,

                              Chiquito

 

 

4.4.  Everardo Vallim Pereira de Sousa

 

 

Correspondência Passiva de Washington Luís – Carta 16

Remetente: Everardo Vallim Pereira de Sousa

Destinatário: WASHINGTON LUÍS

Data: 10 de maio de 1901

Local: Villa de Dourado – SP (pelo papel timbrado)

Fonte: Fundo Washington Luís – Arquivo do Estado de São Paulo

Edição: Verena Kewitz (2012)

Revisão: Renata Ferreira Costa (2012)

N.º de palavras: 323

N.º de páginas: 2

    

 

         D.r Everardo de Sousa

               Fazenda Santa Clara

Villa de Dourado – Estado de São Paulo[20]      10 de Maio de 1901

 

 
 

 

 

 

                                   Wash.

Desejo que esta encontr[e] Você, Sophia e a pequerru-

cha de perfeita saúd[e]. Encontrei todos bons

e Nhanhã caminhando [j]á soffrivelmente!

Hoje te avisei por telegramma que "seguia co"-

mo encommenda a chave da burra, que

o Antonio mandou pedir e que Voce procu-

rasse o Gama Cerqueira[21] para com elle

conversar sobre os emprestimos que a

casa Schimidt+Trost tem feito com

lavradores"           Hontem no trem falá-

[vam]os a esse respeito e essa especie de

[ne]gocio me parece rasoavel: Da-s[e]

[corroído, 1 palavra][22] immovel em 1ª hypoteca a capitali[stas]

[eu]ropeos e o penhor agricola á casa S+T

que se encarrega de pagar as prestações hypo-

tecarias e a fornecer o dinheiro para o cus-

teio; praso de 3 annos, prorogavel. Uma

vez vendido agóra o café cujo beneficio

começarei amanhã, minha conta no A.B+C se

redusirá a 120 contos + ou – ; descontando-se

o abatimento de 30 contos que propuseram-

me, reduz-se o debito commissario a 90

contos; addicionando-se os 40+20 de fóra

temos o total necessario de 150 contos.

            Ha pouco recebi telegramma do An-

tonio, passado de Visconde de Rio Claro, dizen-

do-me que por emquanto eu não escre-

vesse para Santos.  Aguardo carta delle,

[p.02] explicando-me [a] rasão disso: natural-

mente acha-se [de] posse de algum pla-

no exequivel. Si assim for te-

mos 2: este  e [o] do S+T, que me pa-

rece rasoavel. Em todo o caso, pela con-

ferencia que Você tiver com o Gama Cerqueira,

poderá mais seguramente orien-

tar-me.            Junto envio descripção

da fasenda para servir de base.

            Sem mais por hoje, aguardo

sua resposta.

            Saudades nossas a repartir

com Sophia, Alvaro, Tuda e o Ra[-]

[p]haelsinho.

            Um abraço do

                                   Everardo

 

O negocio da Baronesa acha-se

concluido; procurei fazel-o com a

maxima segurança, de nada des –

cuidando-me; em pessoa fui hoje a

Ribeirão Bonito.

 

 

Correspondência Passiva de Washington Luís – Carta 17

Remetente: Everardo Vallim Pereira de Sousa

Destinatário: WASHINGTON LUÍS

Data: 17 de julho de 1901

Local: Evangelina

Fonte: Fundo Washington Luís – Arquivo do Estado de São Paulo

Edição: Verena Kewitz (2012)

Revisão: Renata Ferreira Costa (2012)

N.º de palavras: 362

N.º de páginas: 2

    

Evangelina, 17 Julho 1901

Wash. – Fiz boa viagem e encontrei

todos bons aqui.      Conversei com o Antonio

sobre a promessa da Baroneza acceitar

as letras que o bruto quiz: tambem não acha

isso conveniente, preferindo talvez e como

medida extrema a promessa de hypoteca conjun-

ta com a Baroneza, conforme as condições,

e isso em Fevereiro.           Nada escreverei a

casa em Santos, emquanto Você não me mandar

dizer o resultado de sua conferencia com o

Martinsinho. Acho que Você deve dizer que eu em pes-

soa fui procural-o[23] e, achando-se ausente, pedi-te

para que fosse como meu parente ver si será possi-

vel pacificamente arranjarem-se as cousas,

pois uma demanda prejudicará ambas as

partes; diser-lhe[24] que, julgando a casa vencido o

meu contrato, pelo facto da safra não attingir

ao preço que elles calcularam, fes-me uma pro-

posta para liquidação amigavel com abatimento

de 30 contos, proposta estaque, (por maiores que

foram meus esforços) não consegui le-

var a effeito; trocámos outras propostas,

sem resultado porem para ambos; que a mais

rasoavel dellas foi a que Você bem sabe: a de for-

necimentos até Fevereiro, mandando eu o café

16.000 arrobas, promettendo a liquidação, e,  no

caso de impossibilidade della, dar a

1ª sub-hypoteca da Fazenda e fazer novo pe-

nhor; que sendo esta a +razoavel e a que

melhor posso offerecer (por depender[25] só de

mim) nada mais poderei fazer.

[p.02] [corroído] seja qual for o trato ou contrato qu[e]

eu fizer com a casa será com o

caracter provisorio, pois, desde que eu

arrange um bom emprestimo grande

immediatamente liquidarei minha conta, visto

fazer nisto conveniencia reciproca.

Quanto á parte juridica da questão

Você se externe como entender, fazendo o

possivel para ver si elle consegue do Paulo

a continuação do contrato com o augmento[26]

de + 13 contos, attendendo-se á producção

dupla da que se esperava e portanto des-

pesas proporcionaes.           Feito isto es-

creva-me logo para Dourado, para onde

partirei dentro em pouco.

Adeus Saudades a Sophia e

cocegas na Maria.

            Um abraço do

                        Everardo

 

Peço devolver-me as cartas minhas que

por acaso foram ter á rua Alegre; es-

pero uma urgente: a do capitalista.

 

 

Correspondência Passiva de Washington Luís – Carta 18

Remetente: Everardo Vallim Pereira de Sousa

Destinatário: WASHINGTON LUÍS

Data: 19 de julho de 1901

Local: Villa de Dourado – SP (pelo papel timbrado)

Fonte: Fundo Washington Luís – Arquivo do Estado de São Paulo

 

Edição: Verena Kewitz (2012)

Revisão: Renata Ferreira Costa (2012)

N.º de palavras: 350

N.º de páginas: 2

    

D.r Everardo de Sousa

               Fazenda Santa Clara

Villa de Dourado – Estado de São Paulo[27]      19 de Julho de 1901

 

 
 

 

 

 

                                   Wash.

Estou acabando de receber a tua carta de

hontem.            O Antonio é tambem de opinião

da hypoeteca conjunta, em Fevereiro, caso até lá não

possa eu liquidar o debito nos commis –

sarios_ conforme as condições de vencimen-

tos, prazos, etc.           Para eu dar essa especie

de hypoteca os commissarios deverão: resgatar

as duas letras, fornecer-me o necessario para

o custeio e facultar-me prazo para dentro

do qual eu poder pagar-lhes com os pro-

ductos das safras futuras.          Isto (que é o que

materialmente eu posso fazer) tenho certeza que

será recusado pelo P. Queirós que, de maneira

alguma, quer fazer adiantamentos para mim

depois de remettida para elles a minha presente

safra !!          Não posso deixar de querer um

prazo inferior a 4 safras porque, si as cousas

melhorarem, antes da respectiva expiração

poderei satisfazer o meu compromisso;        

si continuarem ruins, terei o tempo

a meu favor para ir amortisando paula-

tinamente o que não é possivel fazer-se como se

deseja.       Hei de fazer questão que os commis-

sarios comprometam-se de que_ os meus

unicos e mingoados rendimentos são as

[sa]fras da fazenda e que portanto só com

[el]las é que poderei pagar-lhes: desde que elles

[28][to]marem por baze esta dura realidade

[p.02] ahi então será possivel um verda-

deiro accordo. O P. Queirós porém não se

conformará com ella[29] e já estou prevendo

o que elle vae exigir : "Hypoteca conjunta em Fevereiro para

garantir o meu debito então existente; a liquidação

deste a prazo de 1 a 2 annos; não pagamento

das letras nem mais fornecimentos para cus-

teio futuro" toma bem nota disto.

     Feito Domingo o pagamento e arranja –

das as contas, partirei para São Paulo.

Não quero daqui remetter proposta algum[a]

temos ainda que conversar; tenho uma vag[a]

[e]sperança de que o Martim te procurá [sic] para algum[a]

[c]ombinação ....                            Nada me dizes

si dizeste achar-se a fazenda hypotecada; qual a im

pressão causada, etc.

Adeus por hoje. Saudades a Sophia e

um abraço do

                        Everardo

 

 

Correspondência Passiva de Washington Luís – Carta 19

Remetente: Everardo Vallim Pereira de Sousa

Destinatário: WASHINGTON LUÍS

Data: 8 de agosto de 1901

Local: Guarujá

Fonte: Fundo Washington Luís – Arquivo do Estado de São Paulo

Edição: Verena Kewitz (2012)

Revisão: Renata Ferreira Costa (2012)

N.º de palavras: 300

N.º de páginas: 4

    

            Guarujá, 8 de Agosto 1901

 

                        Wash.

 

            Aqui cheguei tendo feito

muito boa viagem e encon –

trando de saúde todos os

nossos de ca.              O clima

aqui está mais benigno que

ahi em São Paulo; o que tem con –

tribuido para minhas melho –

ras.              Fui aos homens

e lá discutimos durante

bastante tempo e sobre as

faces todas do assumpto;

cederam em mais um

ponto: no pagamento da

lettra do Anhaia – e as

couzas estão assim: os

commissarios fornecem-

me custeio de 4 contos men-

saes durante 3½ annos,

[p.02] pagam os juros da conta do

Banco durante o tempo

do contracto, dão – me

agora 13 contos extra

e em Fevereiro liquidam a

lettra de 20 contos.

Ou por outra: satisfazem

tudo quanto eu disse que

precisava.             Querem

porem a egualdade de

capitaes na escriptura;

dizem que assim não sendo

não se julgam garan –

tidos, tanto mais que teem

de fazer grandes adianta –

mentos!              Na actuali-

dade ignoro si encontra –

rei proposta mais van –

[p.03] tajosa; expus o occor –

rido ao Antonio e aguar-

do resposta delle depois

de amanhã; natural –

mente negativa e por

isso ja me vou pre –

parando para ser execu-

tado. Os homens dis –

seram-me que resolviam

pagar a lettra – não porque

lhes conviesse, mas

para evitar que o meu

negocio tivesse um

fim desairoso pela

justiça, e que assim

procuravam facili –

tar-me as couzas

em mais este ponto.

[p.04] Fui tratado com toda

a cortezia e conversá-

mos como amigos;

estou certo que elles não

tranzigirão, de modo

que não sei o que succederá;

allegam que vão me satis –

fazer em tudo que pedi,

e só o que querem é a ga –

rantia para o dispendio de

capitaes.             Adeus. Te

escreverei logo que o Antonio me

responda.            Saudades

nossas a Sophia e

uma beijinho na Maria

    Abraça-te o

            Everardo

 

 

Correspondência Passiva de Washington Luís – Carta 20

Remetente: Everardo Vallim Pereira de Sousa

Destinatário: WASHINGTON LUÍS

Data: 18 de novembro de 1914

Local: Santo Antonio

Fonte: Fundo Washington Luís – Arquivo do Estado de São Paulo

Edição: Verena Kewitz (2012)

Revisão: Renata Ferreira Costa (2012)

N.º de palavras:

N.º de páginas: 2

    

Santo Antonio, 18 de Novembro 1914

 

                           Wash.

 

Inteirado do conteúdo de sua

carta de ante-hontem fui hoje á

Casa Farani receber os 2:053$820

que Você remetteu para a liquidação de

contas com o Senhor Alvarenga, que

depois d´amanhã retirar-se-á da

fazenda. Deduzindo os 120$000 de

10 diarias a que não tem elle direito,

pois desde o dia 1º que deixou a effe-

ctividade da administracção, pas-

sou recibo de 1:933$820 por saldo

de contas sobre estampilha de 300 reis.

O restante do dinheiro entreguei á

Baronesa.               Amanhã deverá fi-

car concluido o beneficio de toda

a safra, cujo total, excepto escolhas

que ficarão para o pessoal consu –

mir, attingirá ás 14.000 arrobas!

A Estação suspendeu os recebimen-

tos de café, mas, com geito e em

menos de 3 dias, remetterei o res-

tante.              Os colonos estão con-

cluindo as respectivas plantações

de cereaes e, dentro em breve, darão

inicio ás carpições de café para começo[30]

[p.02] do anno novo agricola. A alguns

delles mais necessitados tenho dado

"ordens em generos" contra Silva +

Mello, antigo fornecedor.     Para a

fazenda plantei milho em 8 alquires

de chão que estava arado; arroz em

2 alquires e feijão das aguas em 1 alquire.

Tendo se extinguido completamente

o cannavial de forragem que aqui

havia, estou preparando com ara-

do um terreno para nova planta-

ção, que ficará por pouco. Afim

de diminuir o grande desperdicio

de milho que aqui havia, refor-

mei o antigo mangueirão de

porcos , despensando quasi que de

todo o gasto desse cereal. Tenho

procurado pôr em ordem tudo quan-

to é possivel, visando sempre o

minimo de despesas.

De saude passamos sem novi-

dade e desejamos que o mesmo

ahi se dê com Voces.

  Um abraço do

                        Everardo

 

 

4.5.  Raphael Tobias de Barros

 

 

Correspondência Passiva de Washington Luís – Carta 21

Remetente: Raphael Tobias de Barros

Destinatário: Washington Luís

Data: 11 de março de 1907

Local: Sâo Paulo – SP

Fonte: Fundo Washington Luís – Arquivo do Estado de São Paulo

Edição e revisão: Verena Kewitz (2013)

N.º de palavras:

N.º de páginas: 1

 

 

 

                Presado Washington.

 

 

 

        Fui procurado hoje por 2 negocian-

 

tes conhecidos da Rua SãoBento, que pe=

5

diram-me, uma apresentação para o por=

 

tador d´esta Senhor Antonio Pinheiro.- Os mes-

 

mos disseram-me que este é guarda notur-

 

no, ha 5 annos na rua deSãoBento, e que

 

na noite de 8 para 9 foi perseguido e

10

provocado por diversas vezes, por um

 

sujeito ebrio, n que n´uma das vezes

 

deu-lhe uma guarda-chuvada; o policia

 

que estava na occasião prendeu o Senhor

 

Antonio Pinheiro, e hoje o mesmo foi avi=

15

sado que estava suspenso. – Os mesmos

 

negociantes, assim como muitos outros

 

conforme o abaixo assignado, <que junto> pedem-me

 

para ver se é possivel arranjares a

 

reintegração do dito guarda que tem sido

20

muito zeloso, no exercicio do seu emprego.

 

         Desde já te agradece o

 

                         cunhado Amigo Obrigado

 

           11/3 07                Raphael

 

 

 

 

 

 

Correspondência Passiva de Washington Luís – Carta 22

Remetente: Raphael Tobias de Barros

Destinatário: Washington Luís

Data: 17 de julho de 1914

Local: Sâo Paulo – SP

Fonte: Fundo Washington Luís – Arquivo do Estado de São Paulo

Edição: Verena Kewitz (2012)

Revisão: Renata Ferreira Costa (2012)

N.º de palavras: 134

N.º de páginas: 2

 

 

RB                                      S.Paulo

                                   travessa commercio 6.

 

                    Presado Washington

                      Peço-te o especial favor de

           mandar arranjar os documentos

           necessarios para o emprestimo confor_

          me lista que te mandei hontem.

          Como bem sabes o descredito do

          Brazil no momento é grande,

          assim sendo estou certo que não

          deixarás de fazer o negocio ao ty=

          po offerecido, pois que absoluta –

         mente não foi possivel conse –

         guir-se mais, e isso mesmo re =

[p.02] duzindo muitissimo a commissão. –

           Conforme telegrama junto, os ho –

           mens vem amanhan, e se tiveres

          bôa vontade é negocio feito. –

         Confórme você resolver com os ho-

         mens, elles seguirão terça-feira pa-

         ra liquidar o negocio em Lon –

         dres, assim sendo mais uma

         vez peço providenciar sobre os

         documentos, pois mesmo que

         não se faça servirão para quan –

         do fizéres. –

                       Desde já muito agradece

                   o cunhado Amigo obrigado

     

                                     Raphael

            17/7 – 914

 

 

 

Correspondência Passiva de Washington Luís – Carta 23

Remetente: Raphael Tobias de Barros

Destinatário: Washington Luís

Data: 11 de novembro de 1914

Local: Sâo Paulo – SP

Fonte: Fundo Washington Luís – Arquivo do Estado de São Paulo

Edição: Verena Kewitz (2012)

Revisão: Renata Ferreira Costa (2012)

N.º de palavras: 125

N.º de páginas: 1

 

 

Raphael Tobias de Barros,

      Corretor Official.                      S.Paulo 11  de    11    1914[31]

      travessa comm. 6.

        teleph: 1236.

     resid: 3, rios 25.

 

 

                                               Presado Washington. –

 

                                          De Rio Claro mesmo telegraphei

                        para o Rio obtendo hoje a resposta, confor-

                        me telegramma junto; assim sendo peço-te

                        o especial favor de dar-me prazo até sabba_

                        do 18, pois isso não impede em absoluto

                        que Você veja as outras propostas, acceitando

                        a que mais vantagem te offerecer. Como

                        Você mesmo nos disse só precisarás do dinheiro

                        d´aqui ha 2 mezes, de forma que mais

                        6 ou 8 dias estou certo que poderás esperar.

                        Pedindo-te o especial favor de responder-me

                        logo que recebas esta abraça-te o

                                               cunhado Amigo Obrigado

                                                                       Raphael

 

                        Nota Bene Basta mandares-me dizer

                                          „sim“ ou „não“, pois preciso

                                          telegraphar para o Rio. –

 

 

 

 

 

 

Correspondência Passiva de Washington Luís – Carta 24

Remetente: Raphael Tobias de Barros

Destinatário: Washington Luís

Data: 28 de novembro de 1916

Local: São Paulo – SP

Fonte: Fundo Washington Luís – Arquivo do Estado de São Paulo

Edição: Verena Kewitz (2012)

Revisão: Renata Ferreira Costa (2012)

N.º de palavras: 68

N.º de páginas: 2

 

 

 

[Logotipo do Joquei Club de São Paulo]

 

            Presado Washington

 

                        Saudações –

            O Henrique não póde

            fazer já o negocio, disse-

            me que talvez em um

            mez pudesse, porẽm

            eu lhe disse que não

            podia esperar, e assim

            ficou de nenhum

            effeito. _ Fallei[32] hoje

            com o Senhor Augusto

            Rodrigues, que interes_

            sou-se muito pelo ne_

            gocio, e pedio-me

 [p.02] para esperar até segun –

            da-feira que dará

            uma resposta   .

                  Do cunhado

            Amigo Obrigrado

                        Raphael

           

                   28/11  916

 

 

 

Correspondência Passiva de Washington Luís – Carta 25

Remetente: Raphael Tobias de Barros

Destinatário: Washington Luís

Data: sem data

Local: Sâo Paulo – SP

Fonte: Fundo Washington Luís – Arquivo do Estado de São Paulo

Edição: Verena Kewitz (2012)

Revisão: Renata Ferreira Costa (2012)

N.º de palavras: 35

N.º de páginas: 1 – cartão de visita impresso, escrito no verso

 

 

 

[Parte impressa no cartão de visita:]

 

Raphael Tobias de Barros

Escriptorio: Travessa do Commercio, 8

Armazem: Rua Souza Queiroz, 39

             São Paulo

 

Commissões e Consignações de Café

      e outros generos do Paiz

 

Incumbe-se tambem de venda e compra de títulos, casas, terrenos etc, etc.

 

[verso]

 

       Presado Washington. –

 

Consta-me que não criar

uma Bolsa de café com

corretores officiaes, peço-te

não te esqueceres do meu

pedido, isto é um logar

para mim. – Desde já te

agradece o Cunhado Amigo Obrigado

                        Raphael

 

 

 

 

4.6.  João Oliveira de Barros

 

 

Correspondência Passiva de Washington Luís – Carta 26

Remetente: João Oliveira de Barros

Destinatário: Washington Luís

Data: 20 de janeiro de 1904

Local: São Carlos

Fonte: Fundo Washington Luís – Arquivo do Estado de São Paulo

Edição: Verena Kewitz (2013)

Revisão: Joyce Mattos (2013)

N.º de palavras:

N.º de páginas: 1

    

 

 

                          São Carlos 20/1/1904

 

 

 

              Caro Wash.

 

 

5

                                        A tua prezada

 

carta, veio me alegrar muito, pois, por

 

ella vejo que o nosso querido Raphael

 

já se acha bom.

 

Junto a esta um cheque, a teu favor,

10

na importancia de 5:456$000, me farás

 

o obsequio de recebel-o, ficando essa

 

quantia em teu poder; quando tiver

 

occasião opportuna te pedirei para

 

me enviar.

15

Por aqui vamos remando contra a

 

maré. Candinha e Luís[33] estão fortes, o

 

mesmo não acontece com o Paulo que

 

anda passando fóme.

 

Queira accietar [c]om Sophia muitas

20

saudades nossas, e um abraço do

 

              irmão e amigo agradecido

 

                              João

 

Beijinhos em Maria e Raphael.

 

 

 

Correspondência Passiva de Washington Luís – Carta 27

Remetente: João Oliveira de Barros

Destinatário: Washington Luís

Data: 08 de maio de 1904

Local: São Carlos

Fonte: Fundo Washington Luís – Arquivo do Estado de São Paulo

Edição: Verena Kewitz (2013)

Revisão: Joyce Mattos (2013)

N.º de palavras:

N.º de páginas: 3

    

 

 

   Caro Wash.

 

       Chegando hontem

 

de Rio Claro, aqui           

 

encontrei sua prezada

5

carta e bem assim

 

duas toneladas de

 

cartões, que penhorado

 

agradeço.

 

Por aqui vamos regular-

10

mente, as crianças

 

constipadas, devido ao

 

frio intenso que

 

por aqui reina.

 

Pretendemos por todo

15

semana entrante ir=

 

mos para o Santo Antonio,

 

e sendo a viagem de

 

[p. 02] São Paulo para lá, tão facil

 

esperamos que vocês

20

la appareçam, o nosso

 

sympathico Raphael, creio

 

que lucraria bem com

 

uma doze de roça

 

e o mesmo acontecerá

25

com a bregeira Siá Ma<ria,>

 

e Sophia; você anda

 

occupado com serviço

 

da camara, mas isso

 

não impedirá, pois

30

estou prompto para

 

ir buscar o seu povo

 

e me comprometto

 

a leval-os outra vez

 

para ahi, são e salvo.

35

Queira aceitar com

 

Sophia muitas saudades

 

[p. 03] nossas que é o que de

 

melhor temos para

 

mandar e disponha

40

de teu mano e Amigo certo.

 

                    João

 

 

 

 

 

   Beijinhos na Maria e

45

Raphael.

 

 

 

São Carlos 8/5/1904

 

 

 

Correspondência Passiva de Washington Luís – Carta 28

Remetente: João Oliveira de Barros

Destinatário: Washington Luís

Data: 23 de agosto de 1904

Local: São Carlos

Fonte: Fundo Washington Luís – Arquivo do Estado de São Paulo

Edição: Verena Kewitz (2013)

Revisão: Joyce Mattos (2013)

N.º de palavras:

N.º de páginas: 2

 

       

    

 

 

                     São Carlos 23/8/1904

 

 

 

            Caro Washington

 

 

5

 

 

                            Faço votos para

 

que com Sophia e filhos goze saude.

 

Aqui nos achamso desde ante-honte<m>

10

e pretendo ficar ate o apparecimento

 

do herdeiro.

 

Sou inimigo de pedir empenhos

 

para collocações, não só por reconhe-

 

cer o aborrecimento que causa

15

um pedido desses, como tambem

 

por não ter. Trata-se do Cartorio

 

de Paz de Jaboticabal, que está

 

em concurso; parentes meus

 

daqui e de Jaboticabal pedirão-

20

me à C.Central em

 

favor do Senhor Mario da Silva

 

Braga, sobrenho de Dona Narciza.

 

É um moço muito capaz

 

de desempenhar esse cargo,

25

não só pelas habilitações

 

que tem como tambem pelas

 

bôas qualidades de que é

 

dotado. É o arrimo unico da

 

[p. 02] da familia que se compõe de

30

Pai que por ser doente não

 

pode trabalhar, Mãi e 18 irmãos

 

menores! Bem vês que me-

 

rece protecção e é esse o

 

motivo pelo qual me interes-

35

so por elle.

 

Igual pedido Tio Januario

 

deve ter feito ao Doutor Siqueira

 

Campos com quem poderás

 

conversar a respeito.

40

Ficar-te-ei muito grato

 

por quanto fizeres o favor ao

 

Senhor Mario Braga

 

Queira aceitar com Sophia

 

muitas saudades nossas

45

beijo em Siá Maria e no

 

synpathico Raphael, <e> um

 

abraço do teu mano e Amigo certo

 

                              João

 

 

 

 

Correspondência Passiva de Washington Luís – Carta 29

Remetente: João Oliveira de Barros

Destinatário: Washington Luís

Data: 7 de abril de 1911

Local: Guarujá

Fonte: Fundo Washington Luís – Arquivo do Estado de São Paulo

Edição e revisão: Verena Kewitz (2013)

N.º de palavras: 124

N.º de páginas: 1

 

 

 

                              Guarujá   7/4/1911

 

 

 

           Prezado Wash.

 

 

5

                               Por noticias

 

que dahi recebemos, soubemos, que

 

você continua adoentado, venho

 

pois fazer uma visita, desejando o

 

seu prompto restabelecimento.

10

O chalet nº 15 no qual

 

o Alvaro esteve acha-se para alu-

 

gar, completamente mobiliado, está

 

annunciado no “Estado”; talvez que

 

uma estada aqui de ums 15

15

dias te fizesse bem, assim como à

 

Sophia e as crianças.

 

               Por aqui vamos bem, as

 

crianças tem-se divertido muito, hoje

 

estão prezas, devido a chuvinha

20

miuda de beira-mar.

 

            O Hotel comcerteza não

 

ficará prompto para este anno

 

pretendem fazer um colosso, imagi<ne>

 

você que passará por cima da rua

25

do cassino até o chalet do Reis.

 

 

 

< Queira, com todos, aceitar nossas saudades

 

                   e um abraço do

 

                                 João >[34]

 

 

Correspondência Passiva de Washington Luís – Carta 30

Remetente: João Oliveira de Barros

Destinatário: Washington Luís

Data: 01 de junho de 1927

Local: São Paulo

Fonte: Fundo Washington Luís – Arquivo do Estado de São Paulo

Edição: Verena Kewitz (2012)

Revisão: Renata Ferrreira Costa (2012) e Verena Kewitz (2013)

N.º de palavras:

N.º de páginas: 2 (datilografadas)

    

 

[brasão]

 

 

São Paulo 1.º de Junho de 1927

 

 

 

Prezado Washington.

5

 

 

                                Faço votos pra que to -

 

dos estejam com saúde.

 

 

 

                                O inventario de Mamãi,

10

já estava quasi concluido, os herdeiros

 

tinham concordado com as minhas ultimas

 

declarações, e com os impostos pagos, ten -

 

do o juiz mandado fazer as partilhas.

 

 

15

                                Sem surpreza para mim,

 

tive hontem conhecimento que o nobre Anto-

 

nio de Barros , o Paulo e Bentinho, estes

 

da troupe Brazilia, fizeram uma petição ao

 

Juiz para não pagarem o avanço de legitima

20

que alguns receberam. Somente extranhei

 

que elles fizeram isso depois de condoradarem[35]

 

com as minhas declarações nas quaes nos

 

confessavamos devedores !

 

                                  Como sou parte benefi-

25

ciada, sinto-me muito a vontade nesta

 

questão, discordo completamente dos rebeldes,

 

e, como inventariante vou fazer uma petição

 

ao juiz para não tomar em consideração, e

 

mandar ouvir as partes interessadas.

30

 

 

                                  Em hypotese alguma

 

eu receberia essa extorção, e da mesma

 

maneira pensa assim, Nhanhã .

 

 

35

                                  Fiquei muito contrariado,

 

e sinto-me envergonhado de ter parentes tão

[p.02]

indencentes.

 

 

 

                   Queira com todos acceitar nossas

40

saudades e um affectuoso abraço do irmão e

 

amigo

 

                                          João[36]

 

 

4.7. Alvaro de Sousa Queirós

 

 

Correspondência Passiva de Washington Luís – Carta 31

Remetente: Alvaro de Souza Queirós

Destinatário: Washington Luís

Local: não consta

Data: não consta[37]

Fonte: Fundo Washington Luís – Arquivo Público do Estado de São Paulo

Edição: Mattos, Joyce & Kewitz, Verena (2013)

Revisão: Kewitz, Verena (2013)

Número de palavras: 67

Número de páginas: 1

 

 

    Washington

 

 

 

 Estimo que você, Sophia

 

e a menina gozem perfeita

5

saude.

 

Tem esta por fim saber

 

quando vocês pretendem

 

vir. Estamos comendo

 

do Hotel e a comida é

10

horrivel, tendo feito muito

 

mal a Tuda. Si vocês

 

por qualquer transtorno não

 

podem vir logo, peço-lhe

 

avisar-me porque assim

15

mandarei vir uma cozinheira

 

de São Paulo, para cozinhar

 

estes dias.

 

Saudades minhas e de Tuda

 

                                         Do amigo

20

                                                         Alvaro

 

 

 

 

 

Correspondência Passiva de Washington Luís – Carta 32

Remetente: Alvaro de Souza Queirós

Destinatário: Washington Luís

Local: não consta

Data: não consta

Fonte: Fundo Washington Luís – Arquivo Público do Estado de São Paulo

Edição: Mattos, Joyce & Kewitz, Verena (2013)

Revisão: Kewitz, Verena (2013)

Número de palavras: 506

Número de páginas: 4

 

 

                     Washington[38]

 

 

 

                                 Procurei hoje o Olavo

 

que me apresentou o Soulié, que me

5

forneceu a lista dos papeis necessarios

 

para o emprestimo. Seria bom apresetar[-se]

 

logo a proposta, mas, para isto é

 

preciso combinar-se sobre o pedido

 

a se fazer. Elle me disse que para

10

o pedido deve-se tomar por base - o

 

pé de café a 600 ou 700 reis, o que

 

havia, calculando-se Santo Antonio, com

 

350 mil pés - um pedido de mais

 

ou menos 240:000 _ Quanto a casa_

15

e terrenos _ cuja proposta póde ser

 

feita em separado _ a metade do

 

valôr da avaliação _ ou seja 500:

[p. 2]

 

mais ou menos. Está claro que ainda

 

não toquei com elles na quantia que

20

se vae pedir, tudo isso dependendo do

 

que você resolver, de acordo com os

 

dados que foneci. Para se proceder

 

a avaliação da fazenda é preciso

 

fazer no Banco um deposito para as

25

despesas _ 300# fixo e até 100: mais

 

200# até 200 mais 100, até 300 mais

 

150# e a casa 100#. Os documentos

 

exigidos são muitos, vou vêr se a

 

Baroneza os têm, para se tirar os

30

que faltam, em todo o caso teremos

 

muito tempo para isso, pois de acordo

 

com o que me disse o Soulié, só neste

 

um mez ou dois se póderá fazer o

 

negocio. O que convem fazer logo

35

é a proposta, que deve ser assignada

 

pela Baroneza ou você como o seu

[p. 3]

 

procurador. O praso de emprestimo é de

 

15 annos juros 10%, ou seja num

 

emprestimo de 800: - 48:000 - semestraes

40

juros e amotisação. Sem querer ter a

 

pretenção de te dar um conselho, parece-me

 

que para este ponto que deve convergir

 

a sua attenção _ estará dentro das

 

forças da fatura da Baroneza fazer

45

face a estes pagamentos semestraes?

 

  E´ verdade que com as sobras do

 

emprestimo, e mais o producto da desapropriação,

 

se poderá construir nos terrenos armazens,

 

que forçosamente darão bom dinheiro,

50

mas é tambem preciso attender ao

 

estado actual da fazenda, onde é

 

preciso gastar bom dinheiro para a

 

sua restauração, e o resultado benefico

 

desse tratamento só poderá apparecer

55

nestes dois annos, tal é o abandonno

[p.4]

 

que dizem estar aquillo por lá, Quanto

 

ao rendimento dos armazens, só tambem

 

daqui há um anno, que deve ser o prazo

 

minimo para os trabalhos de desapropriação

60

e construcção. Parece-me, portanto, que nos

 

primeiros annos, não se póde contar com

 

augmento de renda, sendo necessario contar-<se>

 

com parte de proprio emprestimo, para fazer

 

face aos juros, amotisações e despesas com o

65

adubo e preparo do cafezal. Isto é o que

 

penso, e que te digo, unicamente dictado pelo

 

desejo que tenho que a bomba não te

 

estoure nas suas mãos "__ Em todo o caso

 

voce, melhor do que eu, reflectirá sobre isso_

70

          Estimo que você continue passando

 

bem.

 

                                 Do cunhado e amigo

 

                                                   Alvaro

75

 

 

A respeito do que voce resolver, peço logo

 

me telephonar ou escrever _ Se não fosse a

 

a creançada eu iria até lá, mas....

 

 

 

Correspondência Passiva de Washington Luís – Carta 33

Remetente: Alvaro de Souza Queirós

Destinatário: Washington Luís

Local: não consta

Data: não consta

Fonte: Fundo Washington Luís – Arquivo Público do Estado de São Paulo

Edição: Mattos, Joyce & Kewitz, Verena (2013)

Revisão: Kewitz, Verena (2013)

Número de palavras: 317

Número de páginas: 2

 

 

                   Washington[39]

 

 

 

                         Hontem a pessôa

 

encarregada da desapropriaçaõ, conversou

5

com o Duprat. Elle está prompto

 

a fazer, sendo o preço entre 200 #

 

minimo e 300 # maximo. Elle ficou

 

de fixar hoje o preço certo. Mas,

 

a Camara actualmente está sem

10

vintem, por isso elle propõe pagar

 

ou em letras (hoje muito desvalorisadas)

 

ou então a prazo, isto é, o pagamento

 

ser feito pela Camara futura.

 

Sei que a Camara está mesmo

15

sem nada, tem até reformado

 

letras de cambio de um conto de

 

reis!

 

O Gabriel de Rezende entende que

 

todo o producto da desapropriação deve

20

ser entregue ao credor. Por tudo

 

isso, e como é preciso urgentemente

 

de dinheiro, para satisfazer o pagamento

 

de juros - 20:000 - e – Banco de Custeio

 

40:000 e os colonos 10:000 e o que mais

25

há de apparecer, não acha você que

[p. 2]

 

é[40] preferivel levantar mesmo o emprestimo no

 

Banco Agricola? Este emprestimo não

 

precisa ser muito grande, jaque os encargos

 

lá são pesados, poem entre 550: e 600:

30

Com 600:000 # paga-se o Lara e os bicos

 

mais urgentes, e mais tarde, com o

 

producto da desapropriação abate-se a

 

divida, que ficará reduzida a mais

 

ou menos 400: - Ora <para> esta quantia no

35

Banco Agricola, com os juros e [amortrações]

 

serão necessarios, mais ou menos 55: ou

 

mais uns 15: contos do que actualmente

 

se paga ao Lara. Isto não pesará muito

 

mais.

40

Parece que em vista do que disse, esse

 

é o unico remedio - fraquinho - mas

 

naõ vejo outro.

 

Na escriptura com o Banco já se póde

 

tirar fora os 9 metros da desapropriação,

45

e de acordo com o preço pago

 

pela Camara - pode-se, sem exagero,

 

pedir 350: ao Banco para a hypotheca

 

e 250 para a fazenda.

 

Se você quizer falar pelo telephone

50

estou aqui em casa até ao meio dia

 

e depois no São Paulo Club

 

Estimo que continue em franca convalescença

 

[rasurado, 1 palavra]

 

                                   Do cunhado e amigo

55

                                           Alvaro

 

 

 

Correspondência Passiva de Washington Luís – Carta 34

Remetente: Alvaro de Souza Queirós

Destinatário: Washington Luís

Local: não consta

Data: 18 de junho

Fonte: Fundo Washington Luís – Arquivo Público do Estado de São Paulo

Edição: Mattos, Joyce & Kewitz, Verena (2013)

Edição: Mattos, Joyce (2013)

Revisão: Kewitz, Verena (2013)

Número de palavras: 197

Número de páginas: 2

 

 

                                                               18 de junho

 

   Banco do estado

 

                    de

 

            são paulo

5

Rua 15 de novembro n. 33

 

        end. telegr.: banespa

 

               caixa n. 789

 

              são paulo

 

 

10

directoria[41]

 

 

 

                                  Caro Washington

 

              O proprietario do predio da rua Colombia

 

              esteve agora aqui e entregou-me os titulos

15

              de propriedade, que passei ao Zezinho Queiros

 

              para o estudo. Elle adquiriu de um

 

              patricio, que por sua vez adquiriu da

 

              City. Como é sabido, os proprietarios no

 

              Jardim America sao sujeitos a certas

20

              regras e condições impostas pela City nas

 

              suas vendas, em beneficio do embellezamento

 

              do bairro, regras de construcção: é

 

              preciso construir a tantos metros da rua,

 

              não podem ser construídos dois predios

25

              no mesmo lote <etc. etc> o que não importa

 

              para o seu caso, pois o predio já está

 

              construido e forçosamente obedeceu a

 

              estas regras __ as habitações não se

 

              podem destinar a fins commerciaes

30

              imagens[42], habitações colletivas etc etc.

 

              Os proprietarios por sua vez gozam

 

              da servidão dos parques que a City

 

              tem nos fundos de certo numero de

 

              predios etc. Enfim, são regras e vantagens

35

              que todos teem e gozam. Tenho casa

 

[p. 2]

 

 

   Banco do estado

 

                    de

 

            são paulo

 

Rua 15 de novembro n. 33

40

        end. telegr.: banespa

 

               caixa n. 789

 

              são paulo

 

 

 

directoria[43]

45

              na rua Argentina e na minha escriptura

 

              consta tudo isso. Si você quizer lel-a

 

              antes de assignar a sua, communique que

 

              eu a mandarei. Ficou assentado assignar-se

 

              a escriptura segunda feira, caso esteja

50

              tudo em regra.

 

                                     Saudades do amigo

 

                                                          Alvaro.

 

 

Correspondência Passiva de Washington Luís – Carta 35

Remetente: Alvaro de Souza Queirós

Destinatário: Washington Luís

Local: São Paulo

Data: 11 de março

Fonte: Fundo Washington Luís – Arquivo Público do Estado de São Paulo

Edição: Mattos, Joyce & Kewitz, Verena (2013)

Revisão: Kewitz, Verena (2013)

Edição: Mattos, Joyce (2013)

Revisão: Kewitz, Verena (2013)

Número de palavras: 162

Número de páginas: 1

 

 

   Banco do estado

 

                    de

 

            são paulo

 

Rua 15 de novembro n. 33

5

        end. telegr.: banespa

 

               caixa n. 789

 

              são paulo

 

 

 

directoria[44]

10

                                                    São Paulo, 11 de Março[45]

 

                               Caro Washington

 

                                            Já há dias liquidou-se

 

              o caso de Vitor na Companhia Paulista. Recebeu

 

              elle uma cautela de 86 acções integralisadas.

15

              Quanto as suas acções, tem você quatro

 

              acções integralisadas, tendo sido a respectiva

 

              cautela retirada pelo fallecido Celestino

 

              de Azevedo <em 1915>. Mandei procural-a no

 

              Banco Commercio e Industria e com o corrector

20

              successor do Celestino, mas não foi encontrada.

 

              Em vista do seu extravio, para ser

 

              dada uma nova, é necessario que se

 

              façam editaes, e trinta dias depois

 

              a Companhia lhe entregará uma outra.

25

              Quer que dê ordens para isso?

 

              Aqui corre tudo sem novidades. Estou

 

              esperando abrandar o calor para ir ahi

 

              te fazer uma visita. Branca está passando

 

              mal, tem soffrido muito, é o mesmo

30

              caso do Antonio de Godoy....

 

              Muitas saudades a todos e um abraço

 

                                                 do amigo velho

 

                                                               Alvaro.

 

<Dona Anninha Tebiriça quer vender a casa. Fallou em 280: 000

 

Se interessar, peço mandar-me pedir detalhes.

 

Ella rettem parte do terreno.>[46]

 

 

4.8. Gilberto Oliveira de Barros

 

 

Correspondência Passiva de Washington Luís – Cartas 36a e 36b

Remetente: Gilberto Oliveira de Barros

Destinatário: Washington Luís (36a) e seus pais (36b)

Data: 19 de fevereiro de 1929

Local: Lavrinhas

Fonte: Fundo Washington Luís – Arquivo do Estado de São Paulo

Edição: Verena Kewitz (2012)

Revisão: Renata Ferreira Costa (2012)

N.º de palavras: 288 (36a) + 558 (36b)

N.º de páginas: 1 + envelope e cartão a Sophia + 1 carta anexa dirigida a seus pais, datilografada

    

 

Laudeter Jesus![47]

 

 

                        Bondoso Tio Washington,

                                                                       Lavrinhas, 19, 2, 929

 

         embora reconheça grande ousadia tomar a liberdade de distrahir ao Senhor dos

importantissimos affazeres inherentes à posição de Vossa Excelência, manda a gratidão que eu Lhe

atteste ao menos em poucas linhas o prazer experimentado ao receber a bellissima missiva

inspirada pela magnanimidade de Vossa Excelência.

         Ao dirigir-Lhe a missiva antecedente, fil-o para cumprir um premente dever de reconhe-

cimento e veneração mas nem por um momento pretendi que esse meu acto tivesse alguma recom-

pensa. Gratissima portanto foi a emmoção que experimentei ao chegarem-me às mãos as

carinhosas, ardentes e animadoras phrases de Vossa Excelência, phrases essas que attesttavamser

oriundas de um coração nobre que sò trabalha pelo incremento do paiz e pela melhorìa

dos sentimentos da sociedade hodierna.

     Peço a Deus que continuamente illumine e guie os actos e as decisões de Vossa Excelência é esta a

unica maneira de patentear a gratidão que em mim provocaram as bonissimas linhas que tão

profundamente calaram-me no peito, consolidando o edificio de minha vocação ao Sacerdocio.

Si a mim foram dulcissimas essas palavras tambem suavisaram as maguas de meus Paes que-

ridos jà francamente solidarios com o meu ideal. A 28 de Janeiro, quando tive a felicidade

de receber o Santo Habito Religioso, Papae, Mamãe e os irmãos aqui estiveram e eu então mostrei-

Lhes a carta de Vossa Excelência.

    Não desejando abusar por mais tempo, dos preciosos momentos de Vossa Excelência peço-lhe venia

para apresentar à querida Madrinha o meu mais sincero e effusivo affecto; aos primos, a

Nia e ao gracioso filhinho carinhosa amizade e ao Senhor o reconhecimento

                    do sobrinho respeitoso que com toda a veneração oscula as dadivosas mãos de Vossa Excelência

                                                                       Gilberto. ,     clérigo salesiano.

 

[envelope]

 

 

Para

 

                Sophia[48]

 

       (Gilberto)[49]

 

 

 

 

[cartão impresso em azul]

 

 

                “A vida, manso lago azul...”

 

Sôbre êsse manso lago azul do poeta,

Onde vogam casais de cisnes brancos,

Plàcidos, como sonhos virginais,

Ha de viver feliz – filha dileta - ,

Irradiando sorrisos doces, francos,

Ao protetor carinho de seus pais.

 

                                               20 – 11 – 1953

 

 

 

[36b: carta anexa, dirigida a seus pais José Oliveira de Barros e Noemi Lacerda de Oliveira]

 

 

                        Meus sempre queridos Paesinhos,

 

                                     Laudetur Jesus!

 

Escrevo-lhes tendo ainda ante os olhos a lembrança das scenas inesqueci-

veis do dia 28, em que, graças á ternura e resignação dos Senhor todos, expe-

rimentei as mais fortes e impereciveis emoções das que até hoje me foi

dado sentir. Ternura por não quererem deixar de assistir a esse acto de

tão profunda importancia na vida deste seu filhinho. Resignação por que

para secundar a terna affeição que reciprocamente nutriamos e que os im-

pellia a presencia<r>[50] essa tocante cerimonia, foi-lhes mistér um espirito de

sacrificio tão grande que só mesmono amôr os[51] Senhores podiam podiam achar forças

para cumpril-o. O que hei de dizer-lhes em reconhecimento? Que os meus

sentimentos de gratidão são tão incommensuraveis como a felicidade que

experimentamos no dia 28. Sinto somente ter-lhes parecido insensivel no

dia 28 porquanto fui talmente inebriado pelas delicias das emmoções que

a presença dos Senhores em Lavrinhas, produziu-me nalma, que certamente andei

como bôbo alegre sem saber articular phrases de nexo. Mas meu paesinho

querido, depois que os Senhores partiram saltou em o[52] me em ondas insopita-

veis a razão com seus raciocinios e então c[h]orei immenso em pensar que

só por meu amor os Senhores aventuraram-se a incommodos e canseiras inex-

primiveis. Terei parecido egoista tambem á Senhora minha mãesinha estreme-

cida mas creia-me, a insensatez vinha da felicidade. Parecia-me um sonho:

eu de batina por toda a vida, discernindo entre as névoas das lagrimas,

Papae, Mamãe, os irmãos queridisssimos, a boa Laurentina e os bondosos chauf-

fers! ... Não queria ve[53] crer mas a evidencia patenteou-se-me um pouco tar-

de quando entre espiraes de poeira senti que me fugiam os meus queridos.

Quero crêr que não tenha sido má a impressão deste ambiente tão genuina-

mente salesiano em que, os Senhores recebidos sem cerimoniaes exhaustivos pu-

deram seguir por algumas horas esta phalange querida de Dom Bosco. Quero

crer tambem que não terá sido fugidia a impressão das ardentes palavras

do Padre Dall´avia e do carinho ardente do Senhor Padre Director;nada disso os

impressiounou?

Meus paes queridos, já estou na nova vidinha que nos é bem suave já por

não se ter momentos de ociosidade,já pela mudança de rotina na nossa vida

Os Senhores como têm passado? Sempre fortes? Papae muito preocupado? E minh[a]

mamãe querida? Tato está animado? Tenho resado pelo que elle me ordenou.

E o querido Xyzoca? Sempre bonsinho e trabalhador? Dadinho ficou bem im-

pressionado aqui? Recorde-se do convite. E minha Cellysinha querida como

vae? Ajuizada e boazinha? O Bi está alegrinho? Acheio-o um pouco abatido;

talvez da viajem. Tae vaes bem? Mais alegre? E os parentes? A todos recor-

dações.

Bem,meus Paes queridos, vou terminar. Já empreguei innumeros votos[54] minuto[s]

nesta obra que me é tão grata. Dentro em breve irei descansar dos labore[s]

quotidianos. E' um triste momento aquelle em que devo despir-me da minha

batina carissima. Ah! Que bom! Amanhã é festa da Purificação de Nossa

Senhora e por isso nós devemos descer na estica. Eu sou o ropeiro do no-

viciado, o varredor do dormitorio e o que dirige a Visita ao Santíssimo Sacrame[n-]

to.

Adeus. Aos irmãos numa multidão de abraços a ternura ardente deste irmão-

sinho clerigo. Asos[55] Senhores toda a ternura do filho amorosissimo que não s[e]

esquece e com todo respeito os beija pedindo a bençam

 

                                   Clerigo Gilberto

 

 

 

Correspondência Passiva de Washington Luís – Carta 37

Remetente: Gilberto Oliveira de Barros

Destinatário: Washington Luís

Data: 1 de dezembro de 1929

Local: Lavrinhas

Fonte: Fundo Washington Luís – Arquivo do Estado de São Paulo

Edição: Verena Kewitz (2012)

Revisão: Verena Kewitz (2013)

N.º de palavras: 266

N.º de páginas: 2

    

 

                        Bondoso Tio Washington.

 

 

 

       Há determinados actos que, dada a sua importancia,

exigem uma resposta indispensavel, particularmente quan-

do mais de profundo se relacionam com a nossa alma de

homens sensiveis. [espaço]E´ esta a razão que me fornece ousadia

sufficiente para fazer chegar ao sempre bondoso Tio, aqui da

obscura povoação de Lavrinhas, a voz do reconhecimento

mais sincero e sem artificios.

       Soube por noticias de casa, que Vossa Excelência teve a immen-

suravel bondade de fazer Papae ouvir a meu respeito, fa-

voravelmente à minha decisão de fazer-me Sacerdote, a

Sua palavra persuasiva de Conselheiro, Amigo e Personalida-

de de grande experiencia. Como si tal não fosse sufficiente,

Sua Excelência Dom Aquino Correia, de passagem por aqui, trou-

xe-me, ha dias, a noticia consoladora de que Vossa Excelência., em

audiencia concedida àquelle prelado, deixou que Seu

magnanimo coração externasse palavras que em extremo

me commoveram. E´ o que me leva a dirigir estas palavras

a Vossa Excelência promettendo-Lhe que em reconhecimento não

deixarei um dia sequer de elevar a Deus ardentes pre-

ces por intenção de Vossa Excelência e que, neste fóco de amor a

Deus e respeito à Patria e aos Seus dirigentes, hei de unir

às preces quotidianas que em conjunto proferimos por

essas intenções, a intenção toda especial de rogar a Deus

que cubra de bençams a Vossa Excelência.

            Recommendando-me respeitosamente à querida Madri-

nha, abraçando aos primos e especialmente ao esperan-

[p.2] çoso priminho, aqui deixo estampada a veneração res-

peitosa e a gratidão sincera que a Vossa Excelência devota

 

                        o humillimo sobrinho

 

 

                        Gilberto Oliveira de Barros.

 

            Lavrinhas, 1 de Dezembro de 1929.

 

5. Referências Bibliográficas

 

CAMPOS, Eudes (2008) Os Pais de Barros e a Imperial Cidade de São Paulo.    Disponível em http://www.arquiamigos.org.br/info/info16/i-estudos.htm. Acesso em 24/07.2012.

HOMEM, Maria Cecília Naclério (1996 / 2010) O Palacete Paulistano e outras formas   urbanas de morar da elite cafeeira. 1867-1918. São Paulo: WMF Martins            Fontes, 2.ª edição.

LEME, Luís Gonzaga da Silva (s/d) Genealogia Paulistana.             http://www.geocities.com/lscamargo/gp/genpaulistana.htm

MOTTA, Heloísa Alvez de Lima e (1992) Uma menina paulista. São Paulo: Totalidade Editora.

SIMÕES, José da Silva & KEWITZ, Verena (2009) Normas linguísticas, história            social, contatos linguísticos e tradições discursivas: transformando encruzilhadas em novos caminhos para a constituição de corpora diacrônicos. Em Castilho, A.T. de (org.) História do Português Paulista. Vol. I, Série Estudos. Campinas, Publicações/IEL, FAPESP.

SIMÕES, José da Silva & KEWITZ, Verena (2006a) Categorias linguístico-discursivas em corpora do Português Brasileiro. Estudos Linguísticos XXXV. São Carlos.

SIMÕES, José da Silva & KEWITZ, Verena (2006b) Cartas Paulistas dos Séculos         XVIII e XIX. São Paulo: Humanitas, edição em cd-rom.

 

 

 

[1] Esses dados foram obtidos em Homem (2010), Campos (2008), Motta (1992) e Leme (s/d).

[2] Não são adotadas aqui as normas do PHPB propostas em 2010, por não serem adequadas a este conjunto de documentos.

[3] Parte impressa do papel.

[4] Provavelmente abreviatura de Everardo.

[5] Elisa Oliveira de Barros, filha da Baronesa, foi casada com o médico João Alves de Lima.

[6] Apelido de Raphael Luís Pereira de Souza, seu neto, filho de Washington Luís e Sophia.

[7] Zé = José Oliveira de Barros, filho da Baronesa. Noemi é esposa de José.

[8] A letra "s" foi escrita por cima da letra "t" (provavelmente "terá"), sinalizando correção.

[9] Parte impresa do cartão, por ela riscado.

[10] A letra "n" foi escrita por cima da letra "g"; em seguida, a remetente escreveu a letra "g", registrando assim sua correção.

[11] Mq. “poeirada”. Guaches – poeira; nuvem de poeira; pó, grande quantidade de poeira (DICIONÁRIO BABYLON).

[12] Parte do papel timbrado. O nome foi riscado pelo próprio remetente.

[13] A palavra "são" foi escrita por cima do início de outra não identificada, dada a rasura, sinalizando correção.

[14] Outra possível leitura para esta palavra: "mais".

[15] Lúcia e Bentinho, sobrinhos de Washington Luís, são filhos de Bento Paes de Barros, filho da Baronesa.

[16] Assinatura manuscrita.

[17] Assinatura manuscrita.

[18] Identificação impressa no papel timbrado.

[19] A letra “r” foi escrita por cima da letra “z”, sinal de correção do missivista.

[20] Parte impressa do papel.

[21] A letra C foi escrita por cima da letra G, demonstrando correção.

[22] Possível leitura: "o".

[23] A letra "r" foi escrita por cima da letra "l", indicando correção.

[24] A letra "d" foi escrita por cima da letra "q", indicando correção.

[25] Outra possível leitura dessa palavra: "defender", visto que as letras "p" e "f" desse remetente por vezes se confundem e se assemelham.

[26] A letra "u" foi escrita por cima do que se entende pelo começo do traçado da letra "g" sem a janbage para baixo.

[27] Parte impressa do papel.

[28] A sílaba "to" de tomarem é uma possibilidade de leitura; a única parte visível, não deteriorada é "marem".

[29] Outra possibilidade de leitura: elle.

[30] A abreviatura p/c não foi encontrada em Flexor (1991). Por isso, "para começo" é uma possível leitura dado o contexto.

[31] Dados do papel timbrado. O que foi preenchido pelo missivista foram os números 11 (dia e mês) e 4.

[32] O remetente riscou o primeiro "l" de "Fallei" com um traço vertical.

[33] Candinha refere-se a sua esposa Maria Candida Novaes de Barros, irmã de Sophia, e Luís, ao primeiro filho do casal.

[34] Escrito na vertical, na lateral esquerda da carta.

[35] O remetente risca a letra "a" com um traço na diagonal (/).

[36] Assinatura manuscrita.

[37] Infere-se que seja de 1901 ou, no máximo, de março de 1902, pois o remetente menciona a filha do casal, nascida em 1901. O segundo filho nasceu em abril de 1902.

[38] À esquerda do nome há o logotipo do São Paulo Club: uma bandeira no mastro, em que o nome do clube está em amarelo, dentro de um círculo vermelho.

[39] Há um brasão à esquerda do chamamento com as iniciais S e Q sobrepostas, em azul, parte do papel timbrado, representando Souza Queirós, sobrenome do remetente.

[40] A palavra 'é' foi escrita por cima de duas letras rasuradas, talvez 'cr'.

[41] Impresso no papel.

[42] Há duas letras 'i' no início da palavra, a primeira delas riscada pelo missivista, indicando correção.

[43] Impresso no papel.

[44] Impresso no papel.

[45] Na diagonal, por cima do endereçamento, lê-se "R a13" em vermelho, na caligrafia de Washington Luís, indicando que a carta foi respondida.

[46] Inserção feita na margem esquerda, na vertical, de baixo para cima.

[47] Escrito na diagonal, no topo esquerdo do papel.

[48] Caligafria diferente da carta escrita por Gilberto Oliveira de Barros.

[49] Caligrafia de Washington Luís.

[50] A letra "r" foi escrita a caneta, sinalizando correção.

[51] Antes de "os" o remetente havia datilografado "d", apagando-o em seguida com algum elemento branco. O que se vê é, na verdade, um "borrão" branco-azulado.

[52] O remetente riscou essas palavras usando cinco barras diagonais.

[53] O remetente riscou "ve" usando duas barras diagonais.

[54] O remetente riscou a palavra usando uma barra diagonal em cada letra.

[55] O remetente riscou a letra "s" com uma barra diagonal.

Ano: 
1901


Main menu 2

Dr. Radut Consulting